fevereiro 5, 2015 -

Por Kleber Kennedy

Olá, pessoal! E finalmente apresento hoje a parte final da nossa série “Qualificando Poderes”. Lembrando que é muito importante que você leia antes os textos anteriores, que podem ser conferidos aqui e aqui. Assim você terá um entendimento melhor da nossa proposta. Vamos lá, então! 🙂

 

Genialidade 

Ame-o ou deixe-o. Essa frase representa bem a Genialidade. Ou você é daqueles jogadores que não vive sem ele ou você não vê motivo para usar. Mas não se engane: esse poder é essencial no jogo. Isso porque, com a chegada da fase de ajuste em Poderes Ocultos, acabou aquela história de segurar a mão vários turnos e acumular cartas na mão: agora é preciso gerar compras no jogo.

Um poder 90% (ou mais) controle. Com esse poder você vai comprar cartas, impedir que o oponente use ações de Genialidade (Discussão Teórica), tirar cards da mão do oponente, olhar cards do deck dentre outros efeitos que ajudam a controlar seu jogo. Mas também há possiblidade de defesa, seja Subornando ou Chantageando os personagens alheios – apesar de suborno ser uma carta muito forte, pois pode zerar a capacitação do seu oponente sem custo, ela só é possível se você for um vilão, o que deixa bastante limitado.

Ponto Forte: Maior possibilidade de compra de cards.

Ponto Fraco: Dependência absoluta de outros poderes.

Dica: Combinar Genialidade com Lâminas, fazendo uso da habilidade Planos de Infiltração é uma forma bem rápida de ter vários personagens na mão.

 

Regeneração 

Se você joga Battle Scenes desde o início vai saber que este Poder foi ignorado pelos jogadores por um bom tempo, até que Ômega Vermelho e a Reestruturação Muscular apareceram em Poderes Ocultos e a coisa mudou.

Hoje já é possível ter um deck com Regeneração que aponte entre os mais fortes. Só quem já jogou contra um Elasticidade/Regeneração ou Super Força/Regeneração sabe como é chato eliminar o oponente. Mas ainda falta algo, precisamos de algo mais usual, além de Reestruturação Muscular e Genética Superior.

As habilidades deste Poder são basicamente defensivas, regenerando a vida dos personagens e com um leve toque de controle, com a permuta proporcionada pela Reestruturação Muscular. Um dos cards, o “Posso comer isso?”, permite o descarte de um card de Ataque à Distância, o que deveria ser considerado Dano. Mas por ser muito restrito, não vou colocar ponto para esse mérito.

Ponto Forte: Curar os personagens.

Ponto Fraco: Dependência total de outros poderes.

Dica: Combine esse poder com Elasticidade, Lâminas ou Super força, terá uma boa sinergia.

 

Magia 

A força capaz de criar ilusões e de prever o futuro chegou em Battle Scenes também em Poderes Ocultos, trazendo consigo uma nova possibilidade de jogo inimaginável. A cada ação você pode olhar as cartas do topo do seu deck como parte do efeito – é por isso que este poder atrai os jogadores que primam pelo controle. Entenda melhor neste vídeo.

Mas não é só isso: suas ações de dano são bem poderosas e podem ficar ainda mais fortes se receberem os bônus de clarividência. Já a defesa deixa um pouco a desejar: Algemas de Krakkan fazem um bom trabalho e recentemente recebeu a ajuda de Sombras Ilusórias, mas ainda é pouco se comparado ao dano e controle oferecidos pela Magia.

Os itens mágicos também são ferramentas fundamentais para a funcionalidade das ações, dando poderes, defesa, bônus e comprando cards.

Ponto Forte: Escolha as cartas que vai comprar.

Ponto Fraco: Difícil manuseio e pouca defesa.

Dica: Combina muito bem com Voo e Telecinese e algumas cartas sugerem uma combinação com Super Força, mas ainda há poucos personagens que permitem essa combinação. Estude bem as possibilidades do deck, pois não é fácil dominar a Magia.

 

Poder Cósmico 

E por último, mas não menos importante, o caçula do jogo. O Poder Cósmico chegou muito bem, possibilitando boas combinações e remexendo nas estratégias. Apesar de ter um custo extra, que pra alguns decks pode ser até bom, suas ações possuem efeitos muito fortes.

No que diz respeito às características, Poder Cósmico veio bem balanceado, com cartas importantes que causam danos, defendem e controlam o jogo. O destaque vai para o Rompante do Absoluto – que, combinado com Cubo Cósmico e outros bônus, pode ser destruidor.

Mas atenção com a Energia Cósmica: quando você menos esperar, seus recursos podem desparecer e você ficará sem atacar. Entenda melhor neste vídeo.

Ponto Forte: Efeitos poderosos.

Pontos Fracos: Energia Cósmica, recursos são a base do jogo e ficar sem eles pode ser complicado.

Dica: Use os cenários Invasão Cósmica e Deflagrar o Caos para contornar a Energia Cósmica.

 

Então é isso, pessoal. Antes que perguntem, as habilidades N/A não possuem Poder, então, não entram na qualificação de poderes.

Com isso finalizamos nossa série de artigos sobre a Qualificação dos Poderes. Espero que tenham gostado e que os textos ajudem os novos jogadores a entender como cada poder pode ser usado, assim como as combinações mais eficientes.

Não deixe de se inscrever no canal The Game of Cards: aqui você pode ver todos os vídeos que já fizemos. Se preferir, acompanhe a gente no Facebook.

Obrigado a todos e até a próxima! 🙂

  • Marcelo

    Boa Kleber !! Essa parte foi a mais legal, parabéns !

    • Kleber Kennedy Menezes

      Obrigado Marcelo!!

  • Rannier

    Gostei da lógica empregada para qualificar as habilidades. Muito bom o post!

    • Kleber Kennedy Menezes

      Obrigado!

  • Daniel Álvares de Almeida

    Excelentes matérias das habilidades, para quem tinha dificuldades com a criação de decks, agora ficou mais fácil. Parabéns Kleber!

    • Kleber Kennedy Menezes

      Obrigado Daniel!!

  • José Silva

    concordo com sua colocação sobre magia, principalmente com o fato de ser dificil pilotar um deck de magia, pois qualquer erro eh fatal, quanto a magia e super-força vejo potencial na combinação e to tentando um deck com lokis e thor, junto com pesadelo e demais personagens com magia e super-força, eh bem promissor… mas ainda falta algo pra rodar de vdd.

    • Kleber Kennedy Menezes

      Genial essa de fazer Loki, Thor e Destruidor. Ainda cabe o Galactus e o Surfista ai, quem sabe.

      • José Silva

        Da pra pensar no galactus, mas vou encaixar um mephistão do amor pra brincar, galactus ainda eh meio dificil de montar, ainda mais em um deck sem voo… mas tenho que testar ainda, possibilidades infinitas :p