julho 17, 2014 -

Por Fabian Balbinot

Olá, amigos! Aqui quem fala é Fabian Balbinot, criador de Battle Scenes. E desta vez falo também como leitor e fã. Como “marvete”.

Uma das características que considero das mais cativantes nos quadrinhos e filmes Marvel, responsável por grande parte dessa minha admiração, é a dualidade. A maleabilidade das fronteiras entre o bem e o mal, entre a justiça e a corrupção, maleabilidade esta que torna tais fronteiras instáveis, frágeis, e que dificulta a imediata identificação do que é certo e errado, entre o que deve ou não ser feito, entre a vida e a morte.

Essa divisa movediça e por vezes traiçoeira tem sido uma das linhas-guia dessa grande editora desde os seus primórdios, demarcando com frequência suas aventuras mais impressionantes.

É inegável o apelo que a Guerra Civil entre o time de heróis registrados e chefiados pelo Homem de Ferro e os renegados clandestinos seguidores do Capitão América oferece a fãs assim como eu – conflito este que foi desencadeado a partir da ação irresponsável de um grupo de heróis, enfatizando a intangibilidade dessa linha que nem sempre separa bem… o bem do mal.

O leitor mais voraz deve se lembrar das impressionantes reviravoltas que levaram Norman Osborn a abandonar a máscara do vilão Duende Verde, deixando as picuinhas particulares com o amigão da vizinhança de lado para assumir a armadura e o protagonismo heroico do Patriota de Ferro, liderando Thunderbolts e Vingadores Sombrios, duas das mais polêmicas equipes de vilões-heróis já apresentadas no mundo Marvel.

E a Era de Ultron… O que pode ser mais empolgante do que se ter absoluta certeza (ou “quase” absoluta certeza) de que Ultron voltará em um breve futuro, numa nova e ameaçadora encarnação mecânica, com novos planos de aniquilação mundial, tudo desencadeado por um implacável processo de reconstrução que ninguém jamais poderá prever, ou impedir, não importa em quantos pedaços tenha sido reduzida a última versão do robô maligno criado por Hank Pym?

Tem coisa mais excitante do que ver as peripécias da pirada Karla Sofen, a.k.a Rocha Lunar, fazendo as vezes de Miss Marvel do mal e puxando briga com a temperamental Carol Danvers, Miss Marvel original e atual Capitã Marvel? E que tal poder imaginar Peter Parker em uma disputa com Mac Gargan, o Escorpião, naquele momento clássico em que ambos foram conhecidos como Homem-Aranha, ou um duelo entre o Mercenário e Clint Barton, ambos fazendo as vezes de Gavião Arqueiro? Ou ainda poder rever a pobre Jean Grey, corrompida por um poder além de seu controle e transmutada na forma apavorante da vilã Fênix Negra, tal como nas histórias mais espetaculares dos X-Men?…

Imagine como deve ser legal poder reproduzir essas situações, as batalhas marcantes dessas sagas todas, em seu card game favorito?

Essa é a principal proposta desta quarta coleção de Battle Scenes, Múltiplas Identidades: oferecer a possibilidade final de integração entre a exuberância das infinitas personas da mitologia Marvel e o sistema de jogo de Battle Scenes.

Como foi visto nas outras matérias apresentadas aqui no site durante esta semana, Múltiplas Identidades justifica o próprio título ao apresentar um pacote de regras que pretende integrar a Battle Scenes essa dualidade notável dos personagens de Stan Lee e Jack Kirby.

Os alter egos passam a ser uma característica fundamental do jogo, permitindo que as trocas de uniforme, de time e de identidade que vivem acontecendo nos gibis possam ser reproduzidas também na cena de duelo. E os belos cards de personagens EV abrem toda uma gama de possibilidades em relação às mudanças/metamorfoses/fusões/evoluções de personagens – a corrompida Fênix Negra e o infernal Mefisto são apenas os dois primeiros nomes em uma longa lista de figuras que deixaram de ser o que eram para evoluírem e se tornarem algo superior, coisa que de agora em diante poderá ser vista também nos duelos de Battle Scenes.

Estas e outras mudanças têm como objetivo principal oferecer a você, fã Marvel, fã de Battle Scenes, a chance de rever todas aquelas batalhas fantásticas dos quadrinhos e dos filmes. Permitir que você orquestre sua própria versão da saga da Fênix Negra, da Guerra Civil, da Era de Ultron e de outras tantas epopeias Marvel, tudo isso dentro de seu próprio deck.

Já dizia o tio Ben: com grandes poderes vêm grandes responsabilidades. E grandes mudanças.

Às vezes, para se sobreviver, é preciso mudar de máscara. Ou de uniforme. Ou usar uma armadura diferente. Ou fundir-se a algum tipo de entidade cósmica maluca.

Às vezes é preciso ter… Múltiplas Identidades.

Bom divertimento a todos!

 

  • Mike

    Falando em Hank Pym, cade ele? Uma coisa boa que poderia sair tbm é: Um personagem com alter ego (Aliados do Capitão America) tbm receberia o Alter ego do Capitão America. Tipo o Falcão, ele é da S.H.I.E.L.D e Vingadores. Mas no jogo esta Aliados do Capitão America. Sem sentido isso. Ae se o Capitão America tivesse em jogo ele tbm ganharia Vingadores e etc.

    • Marcus Martins

      sugestão interessante hein….quem sabe um cenário que faça isso ou uma evolução numa próxima coleção, vamos vendo o que pode acontecer por ai….

      • Gustavo Mattar Ultra-Raro BSGM

        Uma Congregação de Afiliações? Tipo Vingadores Sombrios/Thunderbolts ou X-Men/X-Force? O que sinto falta em BS são as afiliações ou palavras chaves: mutantes, andróides, asgardiano…etc.

        • Victor

          É o Magic correndo pelas suas veias…

          • Kleber Kennedy Menezes

            Comparações ontem, comparações hoje, comparações sempre o/

        • Rannier

          É, faltou isso mesmo. Múltiplas afiliações. Sentinela, Arcade e Magneto são inimigos dos X-Men. Mas cada um tem uma afiliação única diferente.

    • João Blaze

      o Falcão é da S.H.I.E.L.D. DEPOIS de ser parceiro do Capitão América! Antes da S.H.I.E.L.D. e do Capitão América ele era um ladrão do Harlem que foi recrutado pelo Caveira Vermelha. Logo depois ele se rebelou contra o vilão e se juntou com o Capitão América, sem vinculo com a S.H.I.E.L.D. Só depois disso q ele virou líder de super-agentes da S.H.I.E.L.D.. O Fabian sabe disso e provavelmente faça algo com isso depois, como fez com o Deadpool e com Os Vingadores Sombrios. Como diria Jack “O Estripador”: Vamos por partes!

  • Marcus Martins

    bacana….

  • Legal o texto!

  • Prof Xis

    AAAAAAAAA chorei :’) lindo texto desse menino! Adorei! Não vejo a hora de jogar com a minha amiga Fenix Negra arrasadora. Bjinhox
    #Ultronéfeio #umMontãodeidentidades #tonystark<3

  • Fernando Killan Lima

    Perdeu meu respeito por não fazer o Capitão América Buck Barnes! ¬¬

  • Allun2003

    duvida amanha sera o spoiler completo ou dia 25

  • Adriel

    Parabéns pelo excelente trabalho caro Fabian!!!

  • Reginaldo Silvino

    Boa matéria.

  • Romario11

    Bela apresentação da nova coleção! Talvez a melhor até agora!

  • E.D.I

    Vi o spoiler no MTCG e é uma pena que não saiu o Homem Múltiplo estava torcendo para sair uma carta que tem a habilidade de por em cena outras cópias dele durante as ações desde que possa pagar os custos, além das cópias poderem realizar ações quando entram em cena.

    Curti o LÍDER buscando suportes.

  • Victor

    Hoje não tem spoiler? Tava tão acostumado a procrastinar as 3 da tarde olhando as novidades das cartinhas.. 🙁